Projeto Guerreiros do Lins visa tirar jovens do tráfico e violência

Moradores apostam no esporte para mudar a vida de crianças e jovens
Projeto Guerreiros do Lins visa tirar jovens do tráfico e violência

Foto: Divulgação

Por Douglas Mateus

O Complexo do Lins é um extenso complexo de favelas localizado na Zona Norte do Rio, que abrange as comunidades da Cachoeirinha, Cotia, Árvore Seca, Bacia, Encontro, Amor, Cachoeira Grande, Gambá, Barreira do Lins, Boca do Mato, Bairro Santo Therezinha, Barro Preto e Barro Vermelho, Camarista Méier e Morro do Céu, se estendendo pelos bairros do Engenho Novo, Lins de Vasconcelos e Engenho de Dentro.

É lá que se desenvolve o projeto Guerreiros do Lins, organizado por moradores do próprio complexo, que oferece aulas de jiu-jitsu e futsal para mais de 50 crianças e adolescentes da localidade. O objetivo do projeto é mostrar a estes jovens uma realidade sem a influência do tráfico de drogas, que atua fortemente na região. A vereadora Luciana Novaes esteve na quadra de futsal onde ocorrem as aulas, conhecendo um pouco mais do projeto e acompanhando o trabalho que vem sendo desenvolvido.

— Cada criança que temos no projeto é menos uma criança nos caminhos errados da violência. Aqui a gente ensina a prática de esportes, mas também estimula a eles acreditarem numa vida melhor longe do tráfico e das drogas. Tentamos ser uma influência positiva na vida deles, mas nosso espaço é limitado e não conseguimos expandir para alcançar mais jovens— relatou Ronaldo, conhecido como Dinho, um dos líderes do projeto.

Juntamente com a liderança do Guerreiros do Lins, Luciana vem lutando para que a Prefeitura libere de forma permanente o uso da quadra da Escola Municipal Ministro Gama Filho, que fica dentro do Complexo, para o desenvolvimento de mais atividades e a inclusão de mais jovens ao projeto. Para a vereadora este é um passo importante não só para a comunidade, mas para toda a cidade:

— A iniciativa desse projeto é fundamental para a nossa cidade, principalmente dentro das comunidades, porque aqui as crianças crescem cercadas de referências do tráfico e da violência. Mostrar a elas que podem ter uma vida melhor através da educação e do esporte é essencial para a formação de cidadãos que lutam para mudar a sua realidade, da sua família e da sociedade como um todo. Esse projeto tem mudado a perspectiva de dezenas de crianças que, num futuro próximo, serão os guerreiros que lutaram por um Rio melhor. Precisamos ampliar esse alcance e resgatar ainda mais jovens — explicou.